top of page

Casa com criança: natureza, design e estilo de vida saudável


O mundo infantil nos traz uma paixão!


Tem um encanto especial, uma ternura...


Design e arquitetura, aliados à proximidade com a natureza, quando utilizados para instigar o imaginário das crianças, também é algo que nos cativa muito.


Isso sem contar a sua enorme importância para o desenvolvimento infantil.


Nos debruçando rapidamente sobre o tema, é possível perceber que o ambiente

influencia diretamente o desenvolvimento social, cultural, emocional e físico das crianças – trazendo ainda melhoras significativas para a capacidade de aprendizado, sociabilidade, sono e imunidade.


Atualmente, todos têm buscado ressignificar a maneira de viver e de morar. E isto se reflete no desejo de estarmos mais em família e perto da natureza, quem sabe retomando o sentido da infância de antigamente.


E porque não reunirmos crianças, design, arquitetura, mais natureza e a busca por um estilo de vida mais tranquilo e saudável?


Os espaços voltados à criança, para socialização e convivência familiar, tanto dentro de casa como ao ar livre, propiciam que elaborem vivências e conhecimentos que irão colaborar para a sua formação.


Neste sentido, nosso estilo de vida e nossas casas podem contribuir significativamente para favorecer o desenvolvimento infantil.


Acreditamos que nesses novos tempos, com a prevalência do home office sendo realidade para muitas famílias, disso surgindo uma nova e mais intensa conexão entre pais e filhos, tenha chegado o momento de buscarmos mudança, a permitir às crianças mais possibilidades de convivência ao ar livre e em contato com a natureza: os incentivos perfeitos a almejar viver em uma casa com quintal e jardim.


Não queremos continuar a contribuir para que nossos pequenos estejam ainda mais grudados nas telas!


Segundo a escritora e educadora Ana Lúcia Machado, os efeitos negativos dos hábitos urbanos e da invasão tecnológica têm gerado problemas físicos e mentais nas nossas crianças:


"(...) as crianças precisam de espaços abertos, amplos, em terrenos irregulares e diversificados – de terra, grama, pedrinhas, que possuam elevações e declives, favorecendo assim diferentes estímulos sensoriais. Esses estímulos contribuem para a estruturação do sistema muscular infantil e seu desenvolvimento motor, gerando destreza corporal e domínio espacial. A musculatura dos pés e pernas são fortalecidas ao deixarmos a criança andar de pés descalços, promovendo desenvoltura no andar, correr e saltar. A relação criança e natureza propicia um gasto maior de energia, o que auxilia na prevenção da obesidade, no alívio de tensões, e na qualidade do sono que está diretamente ligada ao crescimento infantil. Ao ar livre, em exposição aos raios solares, prevenimos a deficiência de vitamina D, que além de importante para o desenvolvimento dos ossos, potencializa e regula o sistema imunológico. Em ambientes naturais, a criança inevitavelmente será levada à alternância de foco – ora fixará o olhar naquilo que está próximo à ela, ora seu olhar estará direcionado para objetos ao longe, permitindo que os olhos sigam uma linha vertical, horizontal e de profundidade, impedindo o encurtamento dos músculos oculares, e consequente miopia. Ao brincar em contato com a natureza, estamos prevenindo o surgimento de alergias e fortalecendo o sistema imunológico, uma vez que a criança fica exposta à uma série de bactérias e micro-organismos. A natureza oferece momentos de liberdade e relaxamento. Isto impacta de maneira positiva o estado mental das crianças e reduz sintomas de estresse e ansiedade que hoje tem acometido a infância também. Outro valioso benefício é o amadurecimento psicológico da criança. Brincando em ambientes naturais a criança fica exposta à situações imprevisíveis e desafiadoras. Isto possibilita importantes aprendizados, tais como saber correr riscos e medi-los. Entendendo que riscos são aqueles cujas consequências são baixas e aceitáveis, em comparação aos ganhos que propiciam às crianças. Tudo isso contribui para o bem-estar mental dos pequenos, promovendo equilíbrio interno, autonomia, e resiliência. Brincar ao ar livre pressupõe interações presenciais, convívio social, desenvolvimento de relações humanas, formação de vínculos afetivos, que vão estruturando aos poucos a psique infantil, gerando autoconfiança (...)”.

E por compartilharmos das mesmas impressões e preocupações, que tal experimentarmos aliar a temática infantil e a arquitetura para viver melhor?


A cada dia se torna mais importante criarmos um vínculo maior das crianças com a natureza. Vamos nos permitir apreciar a natureza do entorno. Do lado de fora, árvores frutíferas, jardins e quintal podem contribuir e nossas crianças serão as protagonistas.


E, para nos ajudar a entender e sentir todos esses benefícios, atrelando a beleza da arquitetura e do paisagismo, dedicando-se a criar espaços mais integrados para a família, trazemos algumas surpreendentes referências estrangeiras, para criar as crianças com liberdade e muito estilo!

Ana Lúcia Machado é escritora, educadora e pesquisadora da cultura da infância, aprendizagens ao ar livre e da arte e brinquedos com elementos naturais e de reconexão da criança com a natureza. É também autora do blog “Educando Tudo Muda”, que tem como bandeira a educação como a única revolução capaz de transformar o mundo. Nada mais verdadeiro nos dias de hoje!


Arquiteto: Dan Gayfer (Brighton, Austrália)

Fotos: Casa Vogue / Dean Bradley



Fotos: CAAN design / Kat Alves



Arquitetos: Emma and Ross Perkin (Stoke Newington, Inglaterra)



Foto: The Spruce / Jude Parkinson-Morgan



Foto: The Spruce / Shades of Green



Foto: The Spruce / Thinkterior



Projeto e fotos: Think Outside Gardens (Austrália)



Projeto e fotos: Think Outside Gardens (Austrália)



Projeto e fotos: Pippa Schofield Garden and Planting Design (Inglaterra)




A MIIRA oferece atendimento personalizado e curadoria de casas de alto padrão no interior e litoral de SP. Assim, a sua experiência de comprar um imóvel se torna simples, prazerosa e ágil.





Comentários


bottom of page